Não adianta ficar parado. Não fazer nada da vida também traz consequências!

0
9288

Nome: Dionatan Junior Moraes dos Santos Idade: 20 anos, 5 meses e 15 dias

Cidade: Nascido na cidade de Toledo/PR, atualmente vivendo em Joinville/SC

Lesão: Discopatia degenerativa  L1-L2, rompimento da medula na L3 e infarto medular

Ocupação: Militar Do Exercito Brasileiro – 62° BI

Dionatan-Junior-Moraes-dos-Santos-04-amigos-cadeirantes

 

01- Você utiliza a cadeira de rodas por qual motivo e a quanto tempo?

R: Utilizo devido a um acidente em serviço militar, que ocorreu no dia 10/Março/2014, onde fui fazer a instrução de transporte de feridos, no qual umas das técnicas, carreguei um cara de aproximadamente 90kls nas costas sozinho, aonde não aguentei e ocorreu o “acidente”.

Acabou que um dos discos vertebrais indo pra frente e o outro para trás, onde na L3 ocorreu a lesão na medula em si. Sem chances de voltar a andar pelo que os médicos sempre continuam falando. Houve negligencia militar e médica, sendo um dos motivos de ter agravado meu quadro clinico, ficando assim sem ter chance de andar novamente no futuro. Faz 2 anos, 2 meses e 6 dias que utilizo a cadeira, que no caso corresponde ao mesmo tempo do acidente.

02- Qual foi a sua reação após compreender a sua nova condição física?

R: Primeiramente fiquei em choque, com o passar dos dias fiquei agressivo e deprêmido. Sem sair de casa durante 10 meses após o acidente, de vergonha e por não ter vontade de fazer absolutamente nada. Enfiado com a cara nos livros e assistindo seriados na tv.

Chegando no fim desses 10 meses sem sair nem se quer uma vez, decidi voltar a igreja Onda Dura, que frequentava antes do acidente, desde 20/Junho/2013, com o convite dos colegas, onde por sinal estou até hoje, completando o total de 2 anos, 10 meses e 26 dias que estou na Onda. Voltei a interagir com as pessoas sem me repremir, e sem medo do que possam pensar de mim, porque sinceramente não interessa, não mais. rs

03- O que mudou em sua rotina com a sua nova condição física e o que você tem falta?

R: O que mudou na minha rotina foi só não poder andar (obviamente rs) e não conseguir mais alcançar os potes que ficam nas alturas das prateleiras, pelo fato de ser enorme antes e agora ter “diminuído” rs. Resumindo não tenho muitas dificuldades, uma vez que já consegui adquirir minha independência junto da cadeira de rodas, com o apoio incondicional da família. Sinto falta de poder sentir a areia molhada nos pé, caminhar descalço pela beira da praia, coisa que não poderei mais sentir e nem fazer.

04- O que foi mais difícil para você no inicio?

R: Pra mim o mais difícil foi conseguir aceitar tudo que estava acontecendo, pois era meu sonho seguir carreira militar e por fim entrar na Policia Federal, do nada meus planos profissionais tinham desabado. Era meu sonho desde pequeno ser militar, de uma hora pra outra esses planos e objetivos tinham desaparecidos.

05- Qual é o seu maior sonho/meta neste momento?

R: Devido a ter que reprogramar toda a minha carreira profissional, levou quase os dois anos seguintes do acidente para enfim decidir o que fazer. Pretendo fazer faculdade de direito ano que vem, terminar o estudo profissionalizante de violino e grupo vocal no Conservatório Belas Artes. Continuar apresentando nos teatros e afins a musicas, palestras, etc e o que mais continuar aparecendo para fazer. Pretendo futuramente o mais breve possível deixar a agenda aberta para as próximas apresentações que estarão por vir. Quero aprender a fazer o máximo de coisas possíveis voltado ao lado artístico, se assim der levar como carreira. Caso nada de certo, sempre existe o plano “C”, o alfabeto inteiro, rs, e muito mais para continuar com garra alcançando os objetivos… Para informações, agendar apresentações, palestras e afins, entrar em contato: Wpp: +55 47 9768-5121 E-mail: [email protected] Page: facebook.com/oficialdionatanjr

Dionatan-Junior-Moraes-dos-Santos-01-amigos-cadeirantes

06- Algumas pessoas desistem de viver quando se deparam com uma limitação física ou doença. O que te motiva a não desistir?

R: Minha motivação é saber que o amanhã quem cria somos nós mesmos. Não adianta ficar parado. Não fazer nada da vida também traz consequências. O futuro que queremos só é possível se batalharmos para ter e merecer.

Problemas aparecerão, mas, não devemos fugir, apenas ajustar as velas para sair com um aprendizado gigantesco da situação. O metal mais forte é forjado no fogo mais quente. Não existe tempo para apenas existir num mundo medíocre, mas sim, devemos viver da melhor forma possível sempre. Esses pensamentos que tento cultivar todos os dias, é o que me faz continuar. Saber que quem faz a minha própria historia sou eu apenas e mais ninguém. Nenhuma pessoa poderá viver a minha vida e deixar o meu legado no mundo, mas apenas eu mesmo.

Dionatan-Junior-Moraes-dos-Santos-00-amigos-cadeirantes

07- Você já passou por algum momento preconceituoso, qual foi a sua reação?

R: Já passei sim. Um dos momentos, foi quando eu e minha namorada saímos juntos, e deu pra notar olhares incomodados e um tanto quanto curiosos com o afeto mais que intimo entre nós dois, uma mulher até fez um comentário um tanto quanto depreciativo, que não irei dizer qual foi.

A minha reação foi apenas ignorar, pois quem esta vivendo a minha vida sou eu, não ligo pra essas coisas, ao contrario do começo. Aprendi a ignorar certas situações, pessoas e cultivar a santa paciência, para poder viver em paz primeiramente comigo mesmo.

08- Na sua opinião o que precisa mudar no Brasil, para a vida das pessoas com deficiência física possa melhorar?

R: O preconceito, mesmo que não aparenta, o Brasil sofre com muito ainda e não apenas com pessoas com deficiência. A infraestrutura totalmente irregular em certos lugares, mas bem melhor do que anos e anos atras obviamente, só que precisa continuar melhorando.

Se for pra começar a falar o que precisa mudar no brasil quanto a isso, não teria espaço para escrever. E sim o nosso país tem melhorado muito comparando-se há anos atras em beneficio dos portadores de deficiência física e etc, tal coisa que não se passa despercebido, mas ainda assim, tem muita coisa a ser melhorada.

09- Quais pessoas te inspiram e merecem ser lembrados aqui?

R: Antes de tudo, Deus. Seguindo da família, que proporcionaram forças para me redescobrir como pessoa e a minha independência. Amigos que mantiveram do meu lado, dando animo e alegria nos dias difíceis.

O Pr. Lipão da Onda Dura, que é uma pessoa admirável tanto pela sua história, quanto ao auxilio sem pestanejar para aqueles que precisam. Will Smith, Steve Jobs, Eisten, Alexandre o grande, Presidente Lincon, Barack Obama, Charlie Chaplin, Mandela e muitas outras figuras da historia atual quanto de antigamente, que admiro e são consideráveis.

Muito obrigado por compartilha com a turma um pouco da sua história, com certeza vai inspirar muitas pessoas!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui