Ser feliz com o corpo exatamente como é, imperfeito, é isso que nos torna únicas!

2
5310

Em nosso primeiro post do ano vamos conhecer a nossa amiga Raquel, uma linda mulher de 23 anos que sabe valorizar e amar o seu corpo!

Nome: Raquel Da Silva Santos Idade: 23 anos Cidade: Tangará da Serra-MT

01- Por qual motivo você utiliza a cadeira de rodas e a quanto tempo?

Tenho Mielo, já nasci sem andar!

02- Qual foi o momento mais complicado da sua reabilitação/adaptação?

Por eu ter nascido sem andar,  sou bem resolvida, não tive essa fase.

03- Você fez reabilitação em algum centro especializado, foi uma boa experiência?

Sim, passo no Sarah e na AACD. Acho super importante porém não gosto muito, sempre passo as férias em função disso, além de ser bem longe é desgastante, mas fazer oque né rs. Tenho que agradecer por ter essa assistência, sem ela seria muito difícil.

04- A sua cidade é inclusiva ou precisa melhorar, o que deveria ser mudado?

Desde que mudei para cá tenho visto melhorias nas ruas, nos shows, pois gosto muito de sair. kkk

Porém quando se trata de estabelecimento privado é complicado!

05- Prática algum esporte adaptado ou gostaria de participar de alguma modalidade?

Não! Esporte nunca me chamou muita atenção, porém a dança eu ja tive muita vontade.

06- Em nossa primeira conversa você falou sobre o seu desejo de participar do nosso projeto: Cadeirante Sexy. Infelizmente não foi possível!

No entanto você realizou por conta própria. Descreva o quanto o ensaio foi importante para você e a repercussão.

No dia em si eu estava com muita vergonha e com medo disso acabar “estragando” as fotos, algumas pessoas da minha família foram contra também e tal… A princípio era só pra mim, sentia muita vontade de me ver mais sensual, não queria postar por medo de não captarem da forma que eu queria passar e achar vulgar, sei lá.

Porém  os conhecidos me convenceram, nunca vi tanto comentário e compartilhamento numa postagem minha kkkk, muitas mulheres vieram me falar que a visão delas sobre seu corpo sem dúvida mudaria, cadeirantes, gordinhas, magrinhas enfim… fiquei super orgulhosa!

07- O que você têm a dizer para as mulheres que não gostam do próprio corpo ou possui vergonha da cadeira de rodas?

Mulher independente de ser cadeirante ou não, sempre é muito auto crítica. Só acho que a gente tem que se libertar desses “padrões” e ser feliz com o corpo exatamente como é, imperfeito, pois é isso que nos torna única. Quando uma pessoa se ama e se aceita tudo fica mais leve, tudo no mundo fica mais bonito.

08- Perguntas simples respostas curtas:

Uma música: Te vivo,  Luan Santana. Amo ele de paixão!

 

Um sonho: Conquistar meu lugar no mundo, em todos sentidos.

Deus é: Tudo.

Família: Minha base.

O que espera de 2017: Mais amor entre as pessoas.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui